Tontura, suor em excesso e aparecimento de plaquetas vermelhas surgiram no corpo de uma norte-americana, de 46 anos, que quase morre após sofrer uma severa crise alérgica durante uma sessão de sexo com o marido.

Cerca de uma hora depois do ato sexual, os sintomas da mulher se agravavam, e ela começou a ter uma coceira incessante e diarreia. A norte-americana foi levada à emergência médica do Hospital Sinai, de Baltimore, nos Estados Unidos.

Lá, os médicos suspeitaram de uma sepse – que é uma “pane” no organismo provocada pelo próprio corpo ao tentar combater um vírus ou bactéria. Exames, posteriores, no entanto, não encontraram agentes infecciosos no corpo dela.

O caso foi decifrado quando os médicos conversaram com o marido da paciente. Ele revelou estar tomando um remédio à base de penicilina para tratar uma infecção cardíaca. Como a mulher é alérgica à penicilina, os médicos passaram a considerar que ela teve um choque anafilático ao entrar em contato com a substância presente no sêmen dele.

De tão raro, o caso foi publicado no The American Journal of Medicine. O nome da paciente não foi divulgado.

No artigo, os médicos alertam que a penicilina, assim como outros antibióticos, pode se concentrar no sêmen e, durante o contato sexual, ser absorvida pela vagina. Para prevenir situações assim, eles sugerem que os colegas façam prescrições detalhadas relatando também essa possibilidade de reação adversa.

(Com informações do portal Metrópoles)

O remédio existente no sêmem dele foi passado a ela que é alérgica a substância Foto: Reprodução

Conteúdo Patrocinado

MAIS ACESSADAS