Gays se masturbam com mais frequência do que heterossexuais.

Essa é uma das conclusões de um levantamento conduzido nos Estados Unidos pelo

cirurgião Evan Goldstein.

Fundador de uma clínica especializada na saúde de homens

homossexuais, Goldstein realizou uma pesquisa com 1.040 adultos americanos de

diferentes gêneros, status de relacionamento, orientações sexuais e níveis de

experiência para entender seus hábitos e preferências acerca da prática.

Enquanto heterossexuais disseram se masturbar, em média, 12

vezes por mês, homossexuais afirmaram apelar para o sexo solitário cerca de

14,3 vezes no mesmo período. O estudo também apontou que as mulheres se

masturbam apenas 7,8 vezes por mês, quase duas vezes menos do que os homens

(14,8).

Além disso, 22% delas disseram nunca assistir a pornografia,

contra 6% deles, e 31,6% do total de respondentes disse ter crescido

considerando a prática vergonhosa. ​"Embora a masturbação como a

conhecemos tenha sido inventada em 1713, foi só no século 18 que o fenômeno foi

chamado de uma nova 'doença', criando um motor quase universal para gerar

culpa, vergonha e ansiedade", explica o especialista.

A pesquisa também questionou sobre o que as pessoas pensam

enquanto se masturbam. Embora as celebridades tenham ficado em primeiro lugar,

com 34,4%, os ex-parceiros ficaram logo atrás, ocupando a mente de 33,6% dos

voluntários. Mas 25,4% garantiram só ter fantasias sobre seus companheiros

atuais.

De modo geral, 34,8% dos voluntários disseram se sentir mais

relaxados e prontos para dormir após a prática. Felizmente, apenas 7,8%

declararam sentir culpa ou vergonha.

"Muitos americanos parecem ter se beneficiado da

diminuição do estigma cultural em torno da masturbação e agora são capazes de

ter um relacionamento positivo com sua própria sexualidade", celebra

Goldstein.

Foto: Reprodução

Conteúdo Patrocinado

MAIS ACESSADAS