Desorganização no embarque e desembarque, uma longa espera pelas linhas de ônibus que operam a via expressa e falta de infraestrutura para abrigar os passageiros. Esses problemas fazem parte da rotina de quem utiliza a Estação do Maracacuera, no distrito de Icoaraci, um dos terminais de integraçãodo sistema BRT, em Belém.

Usuários padecem debaixo de sol e chuva nas paradas de ônibusAsfalto na Almirante Barroso é questionado por motoristasSeja para ir ao centro da capital paraense ou se deslocar até Icoaraci ou Outeiro, os passageiros que trafegam pela avenida Augusto Montenegro, utilizando as linhas que operam a via expressa, precisam fazer obrigatoriamente a parada na estação para seguir a viagem. O problema é que no local não há um funcionário para passar informações precisas às pessoas, que muitas vezes ficam ‘perdidas’, sem saber até mesmo qual ônibus deverão acessar para chegar ao destino.

Outra situação que incomoda é não haver um local adequado para os ônibus das linhas expressas. Eles param em frente à estação, em pleno corredor do BRT. É ali também, debaixo de sol e chuva, que os passageiros aguardam pelos coletivos.A situação pode ser observada a qualquer hora do dia.

Eles também reclamam que os coletivos param em lugares errados

Wagner Santana

A dona de casa Raimunda Barbosa, 69, mora no residencial Quinta dos Paricás, em Icoaraci, e enfrenta esses transtornos sempre que precisa se deslocar de ônibus. “A gente pega aqui o que vai para dentro do residencial. Mas é complicado porque tem de ficar perguntando se já é nosso ônibus toda vez que para um aqui. Às vezes está chovendo, a gente tem de correr na chuva. Deveria ter mais respeito com o usuário”, reclamou a idosa, que já chegou a passar uma hora esperando pelo transporte.

Morador do bairro Água Boa no distrito de Outeiro, Wiliam Fonseca, 61, diz que, para não penalizar os usuários, o certo seria os ônibus que fazem linha na via expressa pararem para fazer o embarque e desembarque dos passageiros na área destinada aos ônibus do BRT, ao lado da Estação. “Se quiser ir sentado tem de sair cedo. Fica ruim porque a gente tem de descer aqui. E se tiver chovendo? Esses ônibus deveriam fazer a viagem direto e fazeralgumas paradas”, frisou.

O vereador Altair Brandão disse que tem denunciado a situação na Câmara Municipal de Belém (CMB). “O problema é que não tem nenhuma infraestrutura para esses usuários. Eles saem da estação correndo pela rampa porque tem uma pessoa, que geralmente é o motorista ou o cobrador, do outro lado chamando os passageiros para levar a Icoaraci ou Outeiro. É uma confusão, uma correria”, disparou.

O vereador lembra que no meio disso estão crianças e idosos. “Inclusive os trabalhadores ficam gritando, muitas vezes, na chuva. Uma falta de humanidade total. O prefeito Zenaldo Coutinho mente, diz que está tudo bem, quando não está. Esses ônibus que levam os passageiros estão velhos e sucateados, ainda ficam estacionados em local proibido. Não tem fiscalização, uma desordem grande. Já documentei na Prefeitura, mas até agora não fazem nada”,reforçou Altair Brandão.

Explicações - O que diz a prefeitura

- Serão implantados abrigos nas baias para as linhas alimentadoras, e a espera é inerente a um sistema integrado.

- Recepcionistas da Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém atuam no local para passar informações ao público.

Conteúdo Patrocinado

MAIS ACESSADAS