Bruna Izaura de Medeiros Araújo, conhecida no mundo do crime como “primeira dama”, foi presa em Parauapebas, região sudeste do Pará. Agentes de segurança cumpriram o mandado de prisão preventiva expedido pela 2ª Vara Criminal de Parauapebas, nesta quinta-feira (16), em decorrência do seu envolvimento com a morte de Ítalo Rodrigues da Silva.Jovem assassinada com 9 facadas em igarapé estava grávida'Tu te garantes?' Personalidades paraenses enfrentam desafio no IlhaDOLs

A vítima é apontada pela polícia como membro da facção criminosa Comando Vermelho (CV). Ítalo morreu no último dia 29 de agosto, quando estava na porta de sua residência, localizada na Rua Jorge Amado, Bairro Caetanópolis. Ele foi alvejado por três disparos de arma de fogo, que acertaram o rosto, ombro e a barriga.

A polícia informou que a morte de Ítalo se deu em razão das rivalidades entre as facções. De acordo com as investigações, a “primeira dama” teria participado de todo o planejamento para a execução.Secretário da Cultura de Bolsonaro repete discurso nazista e gera revolta na webNotas do Enem já estão disponíveis! Saiba como acessar!

Paulo Henrique da Silva Reis, preso no dia 13, revelou o envolvimento de Bruna no crime. Ele pilotava a motocicleta que levou os criminosos.

A “primeira dama” ficou conhecida no mundo do crime com esse apelido devido à sua relação amorosa com um dos “cabeças” do Primeiro Comando da Capital (PCC) no município de Parauapebas, identificado como Willas Ramon Soares Sousa, o “Boneco da Nike”, como informou a polícia. Inclusive, ele está preso.

Conteúdo Patrocinado

MAIS ACESSADAS