O encontro de Lula com o Papa Francisco

nesta quinta-feira (13) foi o assunto do dia, e claro, gerou críticas dos

opositores. Entre as acusações mais conspiratórios, a tese de que a igreja

católica é uma instituição comunista. Logo após o encontro no Vaticano, em

Roma, o deputado federal e membro da família real, Luiz P. O. de Bragança

(PSL-RJ), afirmou que “a igreja é comunista”.

“A esquerda sempre combateu a igreja,

os militares e a aristocracia. Hoje a aristocracia não existe mais, os

militares são social democrata e a igreja é comunista.”

‌Abençoado pelo Papa

Lula chegou a ser abençoado pelo

Papa. A conversa entre os dois também foi marcada por assuntos como a questão

da Amazônia e o clima político na América do Sul. Em declaração ao chegar à

Itália, o líder do PT afirmou que se colocará à disposição do seu anfitrião:

“vim para ouvir”.

A preocupação de Francisco com a

situação na Amazônia, expressada inclusive nos últimos

tuítes do pontífice, tem a ver com devastação pelos recentes

incêndios e as ameaças aos povos indígenas, devido às políticas de Jair

Bolsonaro que priorizam os interesses do garimpo e do agronegócio, colocando em

risco algumas áreas demarcadas.

Foto: Reprodução

Conteúdo Patrocinado

MAIS ACESSADAS