Ao longo de

27 anos ininterruptos, os melhores jogadores do Campeonato Paraense são

escolhidos em votação popular, com a premiação sendo entregue dias depois do

jogo final. Em 2019, o Troféu Camisa 13 chega a sua 28ª edição com fôlego

renovado e voltando às origens. Em edições recentes, a premiação promoveu uma

série de debates relevantes sobre inclusão, empreendedorismo dentro do esporte,

o papel da mulher no jornalismo esportivo e sobre a relação entre os vários

profissionais envolvidos no esporte, do atleta à imprensa.

Esse ano,

com o tema “Futebol Paraense: Desafios e Perspectivas 2020”, o TC13 procura

analisar o esporte local, onde ele cresceu e onde precisa melhorar. Na festa de

lançamento, hoje à noite no salão do edifício Metropolitan, no bairro da

Cremação, três presidentes de clubes paraenses irão expor as situações de suas

agremiações e estarão abertos a uma sessão de perguntas.

Ricardo

Gluck Paul, Fábio Bentes e Cláudio Wagner, presidentes de Paysandu, Clube do

Remo e Bragantino, respectivamente, serão os primeiros debatedores. “Os dois

principais clubes do Estado têm que ser representados. O Bragantino foi chamado

por uma questão de justiça. Nos últimos três anos é um clube que tem crescido,

inclusive fora de campo, com compra de sede, de terreno para CT e até de

ônibus”, explicou o jornalista Zaire Filho, idealizador e coordenador do TC13.

O Troféu

Camisa 13, realizado pela RBATV, premia os atletas, clubes e instituições que

se destacam no cenário esportivo do Pará, nas modalidades do esporte amador ou

olímpico e no Campeonato Paraense de Futebol.

Das 21

premiações oferecidas atualmente, 19 são voltadas ao futebol, que são

complementadas pelos prêmios de destaque amador e da Personalidade Esportiva do

Ano. O Troféu Camisa 13 é considerado a premiação mais popular do esporte

regional, contando com a representativa participação do torcedor, através do

voto popular. Nessas quase três décadas já foram entregues 527 troféus, entre

atletas, árbitros, técnicos, preparadores físicos, dirigentes e personalidades.

Com as

premiações desse ano, esse número será elevado a 548. Por enquanto, há um

recorde longe de ser atingido, o de recordista de troféu. Entre melhor jogador

por posição a craque do ano, o ex-meia Sandro Goiano lidera com folgas com onze

estatuetas, nove delas com a camisa do Paysandu e duas ainda quando defendia a

Tuna Luso Brasileira. A solenidade de premiação está marcada para o dia 28 de

abril, uma terça-feira, dois dias depois da decisão do Parazão 2020.

De acordo

com Zaire Filho, o sucesso do evento é consolidado por meio da participação

popular, de reconhecida fidelidade e verdadeiro amor pelo futebol. “A maior

parte da votação é feita pelo site (www.trofeucamisa13.com.br), mas a procura

pelas urnas físicas é ainda considerável. Nessa votação contamos com o apoio do

Bola, que leva encartado o cupom para votação. Nesse fim de semana, por

exemplo, teremos urnas no domingo, no jogo entre Remo e Tapajós, no Mangueirão,

e na segunda-feira, na Curuzu, quando o Paysandu vai receber o Itupiranga.

Durante o campeonato, as urnas estarão, também, nos jogos do interior”.

O 28º

Troféu Camisa 13 é uma realização em parceria da Rede Brasil Amazônia de

Comunicação – RBATV e a Zê Efe Comunicação e Marketing.

A nova edição do TC13 será lançada hoje à noite Foto: MAYCON NUNES-ARQUIVO DIÁRIO

Conteúdo Patrocinado

MAIS ACESSADAS