Quem pretende participar do próximo concurso para Instituto

Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), para contratações em caráter

temporário, deve ficar atento. Os próximos editais já estão em fase adiantada

de elaboração e a expectativa é de que sejam publicados até meados do próximo

mês de fevereiro. De acordo com a autorização dos certames, os documentos podem

ser liberados até maio. Porém, as seleções devem ser iniciadas antes. A

expectativa é de que sejam oferecidos mais 225.678 postos.O nome de banca deve ser confirmado nos próximos dias. As

novas opções serão para cargos com exigências de nível fundamental e médio, com

salários que chegam a R$ 4 mil. Dos dois novos editais, o primeiro será para a

carreira de recenseador, que conta com 196.000 vagas autorizadas. Neste caso,

para concorrer é necessário possuir apenas ensino fundamental, com salário de

R$ 1.100.OUTROSJá o segundo edital deverá ser destinado para as carreiras

de agente censitário municipal e agente censitário supervisor, respectivamente,

6.100 e 23.578 postos autorizados. Para os os dois cargos, é preciso ter o

ensino médio. Vale lembrar que o IBGE já divulgou três editais para contratações

temporárias, nos quais já foram oferecidas 25 para agente censitário supervisor

e 4 para agente censitário municipal.O concurso foi autorizado em maio de 2019, para o

preenchimento de 234.416 oportunidades. De acordo com a autorização, o governo

contava com um prazo de seis meses, ou seja, até 6 de novembro, para iniciar a

seleção para todos os postos. Porém, em 13 agosto, o prazo para liberação foi

prorrogado até maio de 2020.Das 234.416 vagas, ao menos 3.267 já estão sendo oferecidas,

através de três editais já publicados. O primeiro contou com uma oferta de 209

vagas, sendo 180 para recenseador, 25 para agente censitário supervisor e 4

para agente censitário municipal. O segundo edital contou com 400 vagas para

analista censitário. E o terceiro e último consta com 2.658 oportunidades,

sendo 1.343 para coordenador censitário subárea e 1.315 para agente censitário

operacional.É importante ressaltar que a distribuição de vagas por

cargos pode sofrer alterações, tendo em vista que o quantitativo do último

edital já contou com mudanças em relação à autorização de maio.Salários e cargosPara agente censitário municipal, a exigência é de ensino

médio, com salário inicial de R$ 2,4 mil. Para agente censitário supervisor, é

preciso ter ensino médio, com ganho de R$ 2 mil. Para coordenador censitário de

subárea, também é preciso ensino médio, com vencimentos que chegam a R$ 4 mil.

Por fim, para agente censitário operacional, exige-se ensino médio e paga R$

1.8 mil.

A distribuição de cargos no Instituto, que fará um novo censo em 2020, pode ser alterada em outros editais Foto: Divulgação

Conteúdo Patrocinado

MAIS ACESSADAS