O Casarão do Boneco é a sede do grupo In Bust de Teatro com Bonecos, mas também abriga um verdadeiro coletivo de seis grupos e artistas independentes de artes cênicas, que vão do circo à arte-performance e à contação de história. Nessa convivência, a casa mantém uma programação de atividades diversificada, que se mantém em 2018. Para este mês, lança uma temporada de espetáculos, sempre às 19h, com o teatro de formas animadas “Verparacuri”, da contadora de história Vandiléia Foro, nesta quarta e quinta; o espetáculo “O Jogo Oriental”, da Cia. Sorteio de Contos, sexta e sábado; e na semana seguinte, dias 26 e 27, “O CarimbóConta: Verequete”, com Marluce Oliveira.

A produtora Fátima Sobrinho, integrante do Casarão, destaca que o mês será dedicado a espetáculos antes de fazer uma pausa para “arrumar a casa” e dar início à sua programação, que envolverá oficinas, ensaios de grupos, e claro, o projeto “Amostra Aí”, que reúne feirinha cultural, espetáculos e contação de histórias. Sempre no último sábado de cada mês, esta programação retorna em março. “A pausa em fevereiro será para colocar a casa em ordem e definir os detalhes, temas das oficinas e fechar a programação de espetáculos”, reforça.

O sistema “pague quanto puder” adotado pelo Casarão durante o Amostra Aí, e nesta quarta e quinta para o espetáculo “Verparacuri”, também será mantido. “Esse sistema tem funcionado bem para o Casarão e, ao mesmo tempo, privilegia quem não pode pagar um preço elevado. Tem pessoas que podem pagar R$ 20/R$50, mas tem pessoas que frequentam o Casarão com R$5 ou mesmo uma moeda. E assim vamos levando o Casarão, que hoje é um verdadeiro coletivo”, comenta Fátima.

Entre os parceiros da casa, estão o grupo Vida de Circo, o Projeto Vertigem e a Cia. Madalenas. ESPETÁCULOS

Os dois primeiros espetáculos da temporada de janeiro são de artistas que integram o Casarão e foram premiados em 2017, em editais do Programa Seiva, da Fundação Cultural do Pará. “Verparacuri” é resultado cênico de uma pesquisa da atriz e contadora de história Vandiléia Foro, fazendo recortes do cotidiano das olarias de cerâmica em Icoaraci. Tudo contado por meio do teatro de formas animadas, tendo a própria autora e o ator Maurício Franco no elenco.

A pesquisadora encontrou com artesãos como os mestres Cabeludo e Cardoso, para saber suas histórias, observar a construção das peças e relatar em seu espetáculo como essa é uma atividade que envolve famílias e membros da comunidade, mostrar que tudo está entrelaçado ao cotidiano delas. “São varais de roupas secando junto com peças de argilas em processo para ir ao fogo. Estas referências foram um dos motivos para querer pesquisar este ofício e mostrá-lo partindo do trabalho que realizo: as artes cênicas”, relata Vandiléia.

No espetáculo seguinte, “O Jogo Oriental”, da Cia. Sorteio de Contos, o produtor e ator Lucas Alberto Cunha traz ao público uma série de histórias orientais, mas parte do público a escolha das narrativas, que passeam pelo imaginário de países como a Arábia Saudita e o Japão, com histórias como “Ali Babá e os Quarenta Ladrões” e “A História da Grande Mestre Yama”. Na outra semana, Marluce Oliveira apresenta “O CarimbóConta: Verequete”, baseado na vida e obra do mestre de carimbó.

Espetáculo “Verparacuri”

Quando: Amanhã e quinta-feira, às 19h. Quanto: Pague quanto puder.

Espetáculo “O Jogo Oriental”

Quando: Sexta, 19, e sábado, 20,  às 19h. Quanto: R$20 (meia entrada a R$10).

Espetáculo “Carimbó Conta: Verequete”

Quando: Dias 26 e 27 (sexta e sábado), às 19h. Quanto: R$20 (meia entrada a R$10). Onde: Casarão do Boneco (Av. 16 de novembro, 815, entre Veiga Cabral e a praça Amazonas). Informações:(91) 3241-8981.

(Lais Azevedo/Diário do Pará)

Conteúdo Patrocinado

MAIS ACESSADAS